Licença de Uso – Creative Commons

Acreditando que o conhecimento deve ser compartilhado da forma mais democrática possível, estou lançando as Megafônicas como projeto Open Source dentro da licença Creative Commons (abaixo discriminada). Lembrando que este projeto deve ser sempre GRATUITO e HORIZONTAL, incluindo seus possíveis desdobramentos futuros.

Erica Ribeiro.

Creative Commons License

Megafônicas by Erica Ribeiro de Andrade is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at https://megafonicas.wordpress.com/.

Mesas interativas de discussão

Por Erica Ribeiro de Andrade.

O Sistema surgiu da necessidade de desenvolver outras formas de interação e comunicação entre as pessoas num evento estudantil de discussões em mesas redondas: o I Fórum Soteropolitano Estudantil de Design (PROEX-UNEB, Setembro de 2004) que teve sua segunda edição – revisada e ampliada – com o evento intitulado Megafônicas (Centro de Convivências e Antigo RU da UFBA, Setembro de 2005), contando com novas edições no decorrer do anos de 2007 e 2008, incluindo em outros estados.

Os fatores que foram levados em consideração para a formatação do sistema foram:
1. Ampliar participação dos estudantes – normalmente, em eventos que possuem mesas redondas, o foco das discussões recai sobre um ou mais convidados que opinam a respeito de um tema em respostas a perguntas vindas da platéia. As mesas redondas parecem com sabatinas direcionadas a esses convidados. O número elevado de espectadores, o tempo reduzido e a hierarquia convidados-espectadores são fatores que inibem a participação efetiva, principalmente de estudantes, e tornam as discussões quase que unilaterais;

2. Gerar horizontalização – uma questão importante para aumentar a inibição dos estudantes em questionar e se posicionar em eventos discussivos é a hierarquia professor-estudante e profissional-estudante. A tendência em considerar professores e profissionais os mais competentes para responder a questões e se posicionar dificulta a participação dos estudantes que tendem a se calar ou a não discordar de algo colocado por professores e profissionais. Colocar professores e profissionais como participantes iguais aos estudantes facilita a participação dos mesmos e quebra a hierarquia.

3. Ampliar possibilidade de contatos – como ocorre na maioria dos eventos como congressos e encontros, o número de participantes é muito grande, dificultando contato com grande número de pessoas. O evento “I Fórum Soteropolitano Estudantil de Design” tinha como objetivo principal a integração dos estudantes de design de Salvador através de discussões, por isso o evento precisava favorecer esta integração em seu formato.

Uma premissa que reforça os três objetivos acima é que o evento seja gratuito e sem restrições de participação.

O Sistema

O sistema consiste de mesas redondas simultâneas, com número reduzido de participantes e tempo de rodadas de discussão. Elas são coordenadas por mediadores fixos e identificadas por cores. Os participantes se revezam a cada período de tempo previamente estipulado de acordo com a marcação de seus crachás, que possuem a marca das cores de cada mesa e a ordem em que o participante deve ir a cada uma. Os crachás são distribuídos de forma que todas as mesas sejam preenchidas com o mesmo número de participantes ou, pelo menos, de forma homogênea. A seguir tem-se ilustração esquemática do funcionamento do sistema.
Esquema do Sistema

Com esse sistema, os participantes têm a oportunidade de conhecer um número maior de pessoas em discussões com tempo estipulado.

Modelo de Crachá

modelo de crachá